segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Pessoa Policial

A inércia e a falta de estímulos mentais levou-me a querer explorar as prateleiras virtuais da Webboom em busca de algum título que me cativasse, o resultado da busca era evidente: Fernando Pessoa.

Publicou-se, aquando da comemoração dos 120 anos do nascimento do poeta português no dia 13 de Junho deste ano, a obra Quaresma, decifrador, um compêndio de 13 novelas policiárias, todas inacabadas, da autoria de Pessoa.


Acostumada a um Pessoa-poeta, esta resultou ser uma vertente igualmente embriagante e não muito explorada pelos mestres pessoanos, na realidade desconhecia a existência de tantas novelas, ainda que por terminar, de um dos meus autores preferidos. Desconhecia também a paixão assumida de Pessoa pelo estilo "Um dos poucos divertimentos intelectuais que ainda restam ao que ainda resta de intelectual na humanidade é a leitura de romances policiais. Entre o número áureo e reduzido das horas felizes que a Vida deixa que eu passe, conto por do melhor ano aquelas em que a leitura de Conan Doyle ou de Arthur Morrison me pega na consciência ao colo. [...] Talvez seja para os senhores como que causa de pasmo, não o eu ter estes por meus autores predilectos e de quarto de cama, mas o eu confessar que assim os tenho."

Até agora tem sido refrescante saborear um Pessoa desconhecido para mim!
A quem gostar aconselho!
Filipa Gonçalves

1 comentário:

Filipa disse...

quando vi este livro pensei logo em ti.. :) *